Purismo & Performance

Eles se movem com leveza, seguindo os passos de seus extraordinários antecessores: os novos Porsche 718 T e 718 Cayman GT4 Clubsport. O primeiro nas ruas, o segundo nos circuitos.

  

OUÇA AQUI O ÁUDIO DO ARTIGO (DISPONÍVEL APENAS EM INGLÊS)
  • Purism & Performance

Ambos os carros esportivos são puro-sangue, mas as exigências para cada um deles é extremamente distinta. De um lado, o Porsche 718 Cayman GT4 Clubsport com o ronco do motor de 6 cilindros – um carro espartano, de um lugar, feito para a corrida contra o tempo no automobilismo. De outro lado, as versões T do 718 Boxster e Cayman – puristas de dois lugares e quatro cilindros que desenvolvem sua dinâmica de direção sobretudo em terrenos com muitas curvas. Uma comparação no percurso em circuito fechado mostra: o lendário motor central da Porsche continua vivo. 

Cayman T e Boxster T:
puro prazer de dirigir 

Típico da série T:

Típico da série T:

rodas de 20 polegadas Cinza Titânio, capas do espelho Cinza Ágata e faixas decorativas caracterizam o 718 Cayman T e o Boxster T
Sintonia dinâmica:

Sintonia dinâmica:

alças em vez de puxadores, contrastes em vermelho – pacote Sport Chrono e bancos esportivos integram o conjunto de equipamentos

O T simboliza “Touring” – o código de letras usado no Porsche 911 desde o ano-modelo 1967 é símbolo de redução ao essencial. Agora a grande arte de mesclar atributos esportivos com a motorização básica também se tornou popular na linha de modelos: tanto o Boxster como o Cayman oferecem na versão Touring o sistema de suspensão esportiva Porsche Active Suspension Management (PASM), com uma carroceria 20 milímetros rebaixada e Porsche Torque Vectoring (PTV). Destaques no interior: bancos esportivos, alavanca de mudança mais curta e pacote Sport Chrono. O motor turbo de 4 cilindros com 220 kW (300 cv) pode ser combinado com câmbio manual de seis marchas ou com o sistema opcional de embreagem dupla da Porsche (PDK). Não há mais puxadores internos nas portas e sim alças – cada grama a menos conta. Resultado: uma aceleração de zero a 100 km/h em 5,1 segundos – com PDK em 4,7 segundos, velocidade máxima de 275 km/h. 

No circuito, nota-se imediatamente a posição mais baixa do banco no 718 T. A suspensão esportiva PASM com bloqueio lateral em combinação com as rodas de 20 polegadas – exclusivo apenas no 718 T na cor Cinza Titânio – aumenta o handling sensivelmente. Bancos esportivos propiciam um bom conforto. E o “motor básico” descrito no prospecto se revela em estradas estreitas como um “pacote” de acionamento bem-comportado e soberano, ou como desempenho superior com atitude de “superatleta”. Tudo depende do gosto do motorista.

Cayman GT4 Clubsport:
desde o início concebido como carro de corrida

Ainda com 6 cilindros:

Ainda com 6 cilindros:

agora, o 778 Cayman na versão GT4 Clubsport gera 313 kW (425 cv) a partir de 3,8 litros
Fibras orgânicas em vez de carbono:

Fibras orgânicas em vez de carbono:

aerofólio e portas são produzidos com materiais renováveis

Na pista de corrida são exigidas outras qualidades. Com 313 kW (425 cv), o motor boxer de 6 cilindros e 3,8 litros do 718 Cayman GT4 Clubsport possui 40 cv a mais do que seu antecessor. Duas versões estão disponíveis: “Trackday”, para iniciantes e “Competition”, com muitos detalhes relevantes para competições, para motoristas ambiciosos. Gaiola de segurança, banco de corrida tipo concha e cinto de 6 pontos são de série. Bom para a ACV: as portas e o aerofólio são de fibras orgânicas com base em linho e cânhamo, em vez de carbono.

Comparado com o modelo anterior, o 718 Cayman GT4 Clubsport oferece mais torque para uma atuação altamente esportiva ao sair da curva e mais aderência, apesar das dimensões dos pneus inalteradas – o resultado da suspensão aperfeiçoada e de mais propulsão. O carro é mais ágil, os freios reagem de forma sensível e ainda mais firmes a cada pressão. Sistemas de regulagem que podem ser desligados gradualmente garantem menos exigências para pilotos com pouca experiência.

Final de um primeiro test-drive. Os dois modelos das fotos retornam e param à beira do circuito. Então os dez cilindros silenciam, no futuro eles seguirão rumos distintos – quatro para as ruas, seis para a pista de corrida. Mas os dois carros levarão a ideia Porsche pelo mundo afora.

Menos é mais

Sem bancos traseiros, menos isolamento, em 2017 até mesmo vidro de construção leve: na versão Touring, o 911 sempre apostou no purismo dos detalhes.

Origem
911 T, 1968

Com entre-eixos longo
911 T 2.2 Coupé, 1969

Teto solar
911 T 2.4 Targa, 1973

Modelo para o 718 T
911 Carrera T, 2017

Porsche 718 Cayman T / 718 Boxster T
Consumo de combustível · urbano: 11,3–10,8 l/100 km
rodoviário: 6,3–6,2 l/100 km
combinado: 8,2–7,9 l/100 km
Emissões de CO2 (combinado): 187–180 g/km
Classe de eficiência: F–E

Porsche 911 Carrera T
Consumo de combustível · urbano: 13,5–11,5 l/100 km
rodoviário: 7,1–6,8 l/100 km
combinado: 9,5–8,5 l/100 km
Emissões de CO2 (combinado): 215–193 g/km
Classe de eficiência: F–G

Thorsten Elbrigmann
Thorsten Elbrigmann